terça-feira, 30 de julho de 2013

Antes ler que correr
Reading instead of running


No mesmo fim de semana em que fui a Lisboa para visitar a Feira do Livro, eu, a minha mãe e a minha cunhada acompanhámos o meu irmão e a minha sobrinha até ao Estádio Universitário. Ele foi fazer o seu jogging; nós fomos passear e apoiar a pequena S. no seu esforço por aprender a andar de bicicleta. A meio do passeio vi, lá ao longe, a Regina a ler encostada ao tronco de uma árvore e sorri satisfeita por ter saído de casa obstinadamente agarrada à câmara fotográfica. Também ela tinha saído de casa com o filho para ambos irem correr. Ele foi; já a Regina mudou de planos. Leitora assídua quando era solteira, admite que perdeu o contacto com os livros quando casou e os filhos nasceram. Felizmente, nos últimos tempos, tem retomado este hábito que tanto aprecia e diz andar sempre com um livro atrás, como se fosse uma mala ou as chaves de casa. Desta forma pode aproveitar cada bocadinho livre para se refugiar nas páginas de um livro. Naquela manhã lia "Vendidas", um relato verídico chocante sobre a violência e as humilhações a que foram submetidas duas irmãs casadas à força no Iémen.

***

In te same weekend I went to Lisbon to visit the book fair, my mother, my sister-in-law and I went together with my brother and my niece to the University Stadium. He went for a jog; we went for a walk and to support little S. in her effort to learn how to ride a bike. I was when I saw, far away, Regina leaning against a tree reading and I smiled, happy to have left home obstinately hanging to my camera. Regina had also left the house to go jogging with her son, but she changed her plans. Frequent reader when she was single, she admits to have lost contact with books when she got married and her children were born. Fortunately, in the recent time, she has been returning to this habit she enjoys so much and she always carries a book around with her, as if it was a purse or the house keys, so she can escape into the pages of a book whenever she as some free time. In the morning I met her, she was reading "A Promise to Nadia", a shocking true story about the violence and humiliation suffered by two sisters forced to marry in Yemen. 
Translated by Marisa Silva

1 comentário:

Unknown disse...

MILF moment... Regina é um nome invulgar e bastante sexy.

A.F. ocorreu-me que até agora não encontraste quase ninguém a ler livros de divulgação cientifica, já reparaste? Extraordinário!