segunda-feira, 25 de novembro de 2013

Carla & Ana Casaca


Quando entrei na carruagem e vi a Carla a ler, senti borboletas na barriga. E quando me aproximei e lhe expliquei ao que ia, acho que não lhe pedi uma fotografia: implorei. O meu pensamento fixou-se na Ana e na alegria que lhe daria este post. Tinha de fazer a foto! Algo tímida, talvez atordoada pela minha abordagem efusiva na presença de tantos estranhos em hora de ponta, a Carla sorriu-me e disse-me que era curioso que lhe estivesse a fazer aquela proposta: primeiro porque é fotógrafa e raramente se vê na posição de fotografada; depois porque não era a primeira vez que lia "Todas as Palavras de Amor". Contou-me que soube do livro quando foi lançado. Viu a publicidade na televisão e despertou-lhe interesse. Quando, por fim, teve a oportunidade de pegar nele e ler a sinopse, não mais o largou, rendida à história simples, mas muito bonita, sobre os acasos do destino. Alguns meses mais tarde, aborrecida com uma biografia do Dalai Lama, abandonou o livro  e decidiu voltar às páginas do romance de que tanto tinha gostado, para lê-lo, de novo, da capa à contracapa. Dalai Lama 0; Ana Casaca 1. 

***

When I entered the carriage and saw Carla reading, I felt butterflies on my stomach. And when I got closer and explained my intentions, I think I didn’t ask for a picture: I begged for one. My thought stopped in Ana and in the joy this post would give her. I had to make the photo! A bit shy, maybe overwhelmed by my effusive approach in the presence of so many strangers in the middle of rush hour, Carla smiled to me and said that my proposal to her was funny: first of all because she is a photographer and rarely is in the position of the one being photographed; then because that wasn’t the first time she read "Todas as Palavras de Amor". She told me she heard about the book when it was launched. She saw the TV advertisement and it caught her eye. When, finally, she had the chance to grab it and read the synopsis, she couldn’t let go, surrendered to the simple, yet pretty story, about the accidents of fate. A few months later, bored with a biography of Dalai Lama, she abandoned that book and decided to return to the pages of the novel she loved so much, to read it once again, cover to cover. Dalai Lama 0; Ana Casaca 1.
Translated by Marisa Silva

4 comentários:

Ana C. disse...

Esta imagem vale mais do que Todas as Palavras de Amor :)

Carla Marisa Barros disse...

A imagem não sei se vale mais do que todas as palavras de amor - sou suspeita para o afirmar! Mas o livro, a história, vale por todo o amor, enquanto sentimento tão nobre, a todos os níveis- amor de mãe, de pai, pelo outro, amor pela vida, pela família, pelo futuro. Em resumo é uma história em que o amor e o acaso comandam a vida!

Sofia disse...

Fiquei curiosa por ler o livro!
Obrigada por tão bonito texto.

Majo disse...

Também não vou perder a leitura deste livro.

Mas quero registar a minha consternação pelo fato de publicarem uma biografia "aborrecida" do Dalai Lama, uma personagem tão inteligente e amorosa, com muito sentido de humor e com uma vida de guerreiro da paz.